BLOG POST 2

5 erros comuns que (quase) todo empresário comete ao contratar e demitir

A realização desses processos devem ser conduzidos com seriedade, transparência e cuidado, considerando todos os impactos financeiros e estruturais que podem causar à empresa.

Diante disso, a seguir acompanhe algumas dicas a respeito dos procedimentos de contratação e demissão.

Começamos pela demissão!

Certifique se realmente é necessária a demissão

Evite tomar decisão por impulso com base em uma discussão ou desentendimento. É preciso avaliar bem a situação antes de tomar a decisão. Alguns gestores acabam se antecipando em algumas situações devido a autonomia que possuem para contratar e demitir, o que acaba resultando em decisões precipitadas e desnecessárias.

Manter o controle da situação e realizar uma boa análise demonstra aos subordinados o profissionalismo e expertise do seu líder.

Analise a questão financeira

Outra análise que deve ser realizada é a financeira. Isto porque, a demissão de um profissional acarreta custos à empresa.

É preciso levar em conta que a demissão de um funcionário mais antigo, por exemplo, demanda o pagamento de uma rescisão mais alta do que aqueles com menos tempo de empresa.

Vale lembrar que os cálculos da rescisão devem ser realizados com destreza, caso contrário, poderá dar origem a uma ação trabalhista no futuro.

Deste modo, antes de demitir um funcionário, busque um acordo entre as partes e coloque na balança os custos que isso resultará.

Utilizar a demissão por justa causa em ocasiões não previstas em lei.

Os motivos que levam a uma demissão por justa causa estão previstos no artigo 482 da CLT. No entanto, é comum o desligamento de profissionais por conta de intrigas pessoais em situações que não dizem respeito ao trabalho, ou seja, fora do ambiente de trabalho por motivos alheios. Esse tipo de prática pode caracterizar excesso de poder diretivo do empregador diante do empregado, violando direitos estabelecidos na CLT.

Com essas orientações a respeito das demissões, agora é preciso ficar atento às contratações!

Não realizar processo seletivo

Por mais que um candidato possua um excelente currículo, é fundamental testar as habilidades descritas e verificar as qualidades profissionais. Desse modo, evita qualquer surpresa inconveniente no futuro que se transforme em uma má contratação.

Ao não realizar esses testes pode resultar em uma contratação fora dos padrões da empresa, atrasando os processos da área e prejudicando o desenvolvimento de projetos.

Logo, em conjunto com um especialista ou o gestor da área em sua empresa, elabore um processo seletivo em que o candidato tenha a oportunidade de demonstrar sua capacidade e habilidades, e assim, avaliar se o mesmo está no nível das necessidades da empresa.

Não possuir um sistema de compliance

O compliance é uma medida para evitar processos e reduzir custos, podemos dizer que é uma área que busca a prevenção, e sua implementação tem sido determinante por conta das constantes reformas e mudanças da lei que tem ocorrido.

Esta consultoria preventiva tem ganhando força nas empresas, independente do seu porte. Afinal, um trabalho de prevenção não é só mais um custo extra para a companhia, mas uma economia a médio e longo prazo.

Nós, do Medeiros de Araújo, seguiremos compartilhando informações importantes, alertando sobre possíveis mudanças, leis e impactos nas empresas.

Ficou com dúvidas? Comente abaixo, estaremos a disposição para orientá-lo.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

NEWSLETTER

Receba notícias sobre o mundo jurídico

Informe seu e-mail

CONTATO

Horário de Atendimento: 8h às 18h, de segunda a sexta.

© 2019 Medeiros de Araujo – Todos direitos reservados. Desenvolvido por 3MIND

EnglishPortugueseSpanish
Open chat
Dúvidas? Fale com nossa equipe!