Infelizmente, acidentes de trânsito ocorrem diariamente com variados níveis de gravidade. Na maioria dos casos, no entanto, o dano é apenas financeiro. A qualquer momento pelas ruas ou rodovias alguém pode perder o controle do veículo, desrespeitar alguma lei de trânsito ou não prestar a devida atenção e fazer com que você tenha um prejuízo daqueles. O que fazer? Não é raro que muitas pessoas tenham medo de acionar a polícia ou órgãos responsáveis para registrar o  acidente. Isso é mais recorrente no caso de pessoas que não possuem seguro, carteira de habilitação ou que podem receber uma multa ou ter que pagar alguma coisa pelo acidente.

Por falta de conhecimento, vítimas que são lesadas no trânsito acabam por deixar tudo passar em branco. Por esta razão, é importante que você saiba exatamente quais são os seus direitos em diferentes situações de acidente no trânsito e com quem deve entrar em contato tão logo ocorra. Desconhecer as leis que tratam de acidentes de trânsito podem fazer inclusive com que você caia em famosos golpes que pessoas de má fé aplicam por aí, como: dizer que está tudo bem,  deixar tudo como está e esperar que alguns dias se passem para alegar que você não prestou o devido socorro e cobrar indenização. Sem um boletim de ocorrência registrado fica muito difícil saber com clareza o que aconteceu, especialmente se já se passou algum tempo.

Sofri um acidente! O que fazer?

Se você bateu o seu carro ou moto, a primeira coisa a ser feita é procurar tomar nota da placa do veículo do outro envolvido, seja por papel e caneta ou mesmo mentalmente. Isso permite que a polícia encontre o veículo em casos de fuga ou negligência. Em segundo lugar, deixe os veículos exatamente como estão até que a polícia ou um representante do órgão de trânsito responsável em seu município esteja presente no local. Caso ninguém tenha se machucado, é de extrema importância registrar os danos causados nos veículos e fotografar a cena o máximo possível com informações relevantes como: pontos de referência que comprovem como foi a batida, possíveis peças que ficarem pelo chão, etc.

No caso de acidente com vítimas, jamais fuja do local, independente se você foi o culpado ou não. Isso pode gerar revolta de pessoas que estiverem nas redondezas e representar um risco, sem mencionar que deixar de prestar socorro torna-se crime. Portanto, permaneça e chame a polícia e uma ambulância imediatamente. A presença de um policial é essencial nos casos mais graves. Caso não seja possível, faça um boletim de ocorrência. Se você tiver seguro, comunique a sua seguradora do ocorrido no caso de você ter sido o culpado. Se o outro envolvido no acidente com você for o culpado, pergunte se ele possui o seguro, pois neste caso o seguro dele cobrirá os danos do seu veículo sem que você precise arcar com custos de franquia, que invariavelmente são altos. Evite acordos informais, especialmente se você não foi o causador do acidente. Isso pode fazer com que sua situação se complique ainda mais quando a seguradora investigar o caso. Se o outro envolvido se recusar a colaborar, mantenha a calma e evite conflitos. Registre tudo, faça o B.O, garanta que possíveis vítimas possam ter atendimento médico e recorra à justiça. Caso o dano seja inferior a 40 salários mínimos, você pode procurar o Juizado Especial. Se for superior, procure um advogado e abra uma ação judicial.